Dos sonhos abandonados e das esperanças resgatadas

Dos sonhos abandonados e das esperanças resgatadas

Quando eu tinha 12 anos minha escola levou a gente pra uma excursão na USP. Acho que qualquer visita a uma faculdade ou mesmo a uma simples feira de profissões já é algo de impacto na vida de um jovem. E embora tivesse lugares mais interessantes para se levar os alunos da sexta série de uma escola pública do interior, posso dizer com segurança que aquela excursão mudou a minha vida.

Com 12 anos você mal sabe “o que é” uma USP, então imagine-se criança, curiosa, devoradora de livros, fã das aulas de Ciências e de Português; imagine-se entrando na maior cidade universitária da América Latina. Como é o mesmo o nome? Não importa, olha só o tamanho desse museu de… como se diz? Antropologia! Olha isso, eles têm um departamento inteiro só pra Astronomia, que demais! Olha essa biblioteca! Eu poderia morar numa biblioteca dessas…

A USP dos meus 12 anos era o lugar mais magnífico da face da Terra. Era um mundo inteiro de conhecimento, de possibilidades, tudo dentro de uma minicidade dentro da maior cidade do país. Eu não conseguia parar de me maravilhar com tudo aquilo, então é claro que a decisão de estudar lá foi muito natural para mim.

“Vou estudar na USP! Não sei o quê, mas vai ser algo que me ajude a mudar o mundo.”

Ah, tem mais essa: o sonho primordial, aquele velho desejo que todos temos de deixar nossa marca no mundo. Você já teve um sonho assim em algum momento da sua vida? Eu aposto que teve.

Mas a vida aconteceu. A gente descobre que em faculdade pública só entra quem estudou a vida inteira em escola particular. É a regra subliminar que impera este país. Você sabe disso. Todos sabemos. Os obstáculos eram tantos que eu simplesmente não me via ultrapassando todos eles. Era coisa demais. Exaustivo demais. Difícil demais para uma pessoa tão pequena com um sonho tão grande.

Hoje, muitos anos depois, eu resolvi resgatar alguns velhos sonhos do passado, sonhos que eu me arrependo imensamente de ter desistido, e estudar na USP é um deles. Na realidade, o sonho nem é algo tão simples assim, digamos que estudar numa universidade pública é apenas uma das etapas para um sonho maior. Uma etapa bastante importante, diga-se de passagem.

Conseguir ver essas etapas de maneira clara e objetiva foi uma parte importante do meu amadurecimento. Foi algo que demorou para acontecer, mas agora que já tenho tudo organizado, vim para a internet compartilhar essa etapa, porque se você chegou até aqui neste texto você com certeza tem algo em comum comigo. Talvez queira resgatar velhos sonhos perdidos. Talvez queira se encontrar nesse mundão. Independente do que for, saiba que estamos no mesmo barco, então por que não se ajudar?

Foi com esse raciocínio que eu visualizei o Fuvestejando. Era para ser só um lugar onde eu pudesse organizar meu avanço nos estudos pré-vestibular. Mas para que se prender a tão pouco se podemos mais? E melhor: ajudando quem aparecer pelo caminho. Isso é algo que me tem sido ensinado desde sempre.

Por isso, eu convido você, que está tentando se dar uma nova chance, a chance de tentar algo grande comigo. Pode ser que a gente falhe, pode ser que a gente consiga, mas se tem algo que aprendi nisso tudo é que pior que a dor de uma derrota é a dor da dúvida, de não saber se teria dado certo ou não caso a gente tivesse dado a cara a tapa para tentar.

 

Aprovados da UFPR 2012
Aprovados da UFPR 2012